sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

A vida

A vida não me ensinou ...
A dizer adeus às pessoas que amo.
A sorrir às pessoas que não gostam de mim.
A fazer de conta que está tudo bem quando não é verdade,
A aceitar gratuitamente agressões que não levam a nada, nem a lugar nenhum.
A calar-me frente a qualquer tipo de violência.
A aceitar os meus erros como algo inerente ao ser humano.
A ficar inerte quando os que amo estão com problemas.
A ser hipócrita; amar os que me magoam ou querem fazer de mim depósito das suas frustrações e desafectos...
A ficar em cima do muro...
A fechar os olhos às injustiças

Porém a vida ensinou-me e deu-me:
Algum amor;
Alguma alegria;
Algumas belezas;
Um pouco de poesia
Ensinou-me a, algumas vezes, perdoar...
Outras, a pedir perdão.
Ensinou-me a sonhar acordada (isso aprendi sózinha)
A acordar para a realidade
A aproveitar os momentos de felicidade
A chorar sem vergonha de o mostrar
A ver os encantos da natureza
A aproveitar o presente como presente e usá-lo como um diamante que eu mesma tenho de lapidar dando-lhe a forma que ache mais apropriada
Ensinou-me que posso ser sempre melhor... sorrir quando o que mais desejo é gritar

E é dessa forma que tento viver e levar a minha vida para frente...
Embora, às vezes, tropece...



(não faço ideia quem escreveu isto... gostei e quero partilhar)

5 olás!!:

FM disse...

Também gostei muito de ler... MESMO.
Gosto especialmente de palavras com "peso e medida" que não se perdem em frases adornadas em demasia...
Foi uma boa escolha. Parabéns!
Bom fim-de-semana...

Waldorf disse...

Se tropeças é porque queres.
Vê onde pões os pés, e se não vês, compra óculos!

Blue Velvet disse...

Tens mesmo a certeza que não foste tu que escreveu isto?
Seja como for, como acho que as escolhas que fazemos falam por nós, esta diz-me quem és.
Talvez por isso os nossos Santos se cruzem.
Beijinhos

Olá!! disse...

Obrigada FM... beijo para ti

Waldorf???? Callate

Blue Velvet, por vezes "puxo" de um poema meu, outras de verdadeiros poetas que faço questão de identificar.
Este texto encontrei por acaso, não tinha o autor, por isso dei um jeitinho aqui e ali e trouxe para ler convosco.
Leste a resposta que te dei no post anterior????
Um mimo grande

Statler disse...

Olá, puxa por mim que eu deixo-me ir e não me importo nada!