quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Para reflectir

A propósito deste tema reencaminho-vos, uma vez mais, para o blog do Citro)...

somos mesmo uns macaquinhos ...

de imitação....

10 olás!!:

vsuzano disse...

hhuhuuuhuuuuhhuuu

hahahahahahaaa
aaaaaa

uiuiuiuiuiuiuiui

CHUAC....

vsuzano disse...

Monkey business.... e nada mais...rsrsrs

scratch ... scratch...

zetrolha disse...

Recuso-me a reflectir sobre o assunto de um slide escrito na língua que nos querem impingir com a merda de um acordo ortográfico.

Oliver Pickwick disse...

Ótimo clip! A propósito, Olá, para um macaquinho de imitação, você até que é uma garota inteligente, charmosa e criativa.
Um beijo, ótima semana!

Olá!! disse...

Porta-te bem Suzano.... beijusssssss


Zétrolha, não leias as legendas e concentra-te no som... Também não concordo com o acordo que nos querem impingir, mas há coisas que merecem ser ouvidas... Beijo cheio de argamassa

Adoro quando me chamam "garota" e se disserem que sou traquinas, sorrio ainda mais... Beijo Oliver

Belzebu disse...

Pois é! Estamos perante o fim da macacada! Não me vou alongar muito nos comentários, pois já não tenho equilíbrio, na árvore onde me encontro!

Aquele abraço infernal!

Bruno disse...

hihihiihihihi. :D

Dil disse...

hihihihihihi
tá giRo
jinhuus XXl pa ti miga
bom fim de semana

Rafeiro Perfumado disse...

Por isso é que eu encarnei num rafeiro...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Gosto dos teus olás. São janelas que se abrem e partilhas que acontecem. São sóis em dias por vezes cinzentos. Um Olá pode fazer toda a diferença entre a vida e a não vida. Quantas vezes, em momentos de desânimo, vimos surgir um sorriso que se abre num olá, e o sol deixa de nos parecer distante?
Relativamente ao post sobre os médicos do mundo claro que podes copiar embora não tenha sido eu a autora mas o meu parceiro José Carreira. E fico contente que tenhas essa vontade de divulgar este grande projecto solidário.

Obrigada pelas palavras gentis que tens deixado no meu blogue do qual tenho estado ausente por motivos de saúde de familiares próximos e amigos.
Assim que pude vim logo visitar-te. Amanhã, terei no Silêncio Culpado um texto de opinião em que me identifico e me mostro com o nome e o rosto que tenho.